Morto há 25 anos, Warhol sobrevive

Andrew Warhola (1928 - 1987)

Vi hoje na Ilustrada (23/2/2012) nota sobre 25 anos da morte de Andy Warhol e relançamento de seus diários pela L&PM, dois volumes de bolso.

Os diários são engraçados. Warhol anotava o preço de tudo, principalmente das corridas de taxi. Fazia parte de seu projeto existencial tirar uma polaroid por dia e registrar o valor em dólares dos deslocamentos e jantares.

Já que estamos tratando do assunto, repincei aqui (o bom blog da L&PM havia pinçado primeiro) um registro escrito por Warhol no dia 1º de março de 1980, um sábado.

Ele detona o beatnik William Burroughs.

“Victor Bockris telefonou e disse que o jantar com Mick Jagger na casa de William Burroughs estava confirmado. Victor está escrevendo um livro sobre Burroughs. Decidi ficar no escritório e não ir para casa. O motorista não parou no 222 Bowery, estava indo muito depressa (táxi $3). Subimos, eu não ia lá desde 1963 ou 1962. Certa vez foi o vestiário de um ginásio. Não tem janelas. É todo branco e limpo e parece que tem esculturas por toda parte, com aqueles canos daquele jeito. Bill dorme num outro quarto. Não acho que seja um bom escritor, quer dizer, escreveu um único livro, Naked Lunch, mas agora é como se vivesse no passado.”

Touché!

Volto ao Burroughs em breve.