São Paulo, túmulo do rock e da literatura

A coisa é tão feia que um cara como Criolo, que é ok, tem sido tratado por Chico Buarque e Caetano como a redenção absoluta. Retrato de Daryan Dornelles.

São Paulo não é o túmulo do samba. É o jazigo perpétuo do rock e da literatura.

A grande virtude de São Paulo, cidade que adoro, foi ter proporcionado uma vida razoavelmente cosmopolita a autores vindos de todos os estados da federação, a partir da segunda metade do século 20.

Desafio qualquer um dos caríssimos leitores a citar cinco romances importantes, muito importantes, escritos por autores paulistas.

Não adianta revirar a cova dos modernistas. Nem vasculhar na Mercearia São Pedro.

Desafio qualquer um dos caríssimos leitores a citar cinco canções importantes, de qualquer modalidade, escritas ou interpretadas por artistas paulistas.

Não vale falar do Ira!, do Ratos, Inocentes, Rita Lee carreira solo, tudo muito ruim, embora nós, paulistas, tenhamos por eles um afeto irracional.